O Brasil, o Mercosul e a Integração Regional

O BRASIL, O MERCOSUL E A INTEGRAÇÃO REGIONAL

Por José Ricardo Martins*

 O Mercosul, fundado em 1991 por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, é um dos blocos que apresenta maior avanço no processo de integração regional. O setor de maior desenvolvimento é o comercial. Contudo, uma integração regional plena não acontece apenas pela via econômico-comercial, mas sobretudo pela política, social e cultural, incluindo a educação e a construção de infraestrutura para a integração física (estradas, pontes, redes de energia e telecomunicações). Ressaltamos que a integração exclusivamente pela via econômica corre o risco de não aportar benefícios para todos, mas apenas para alguns grupos econômicos e industriais. Por isso, a necessidade de a integração regional ser conduzida também com políticas sociais.

Os dirigentes do Mercosul têm consciência e tem procurado avançar em todos os aspectos da integração por meio da criação do Mercosul Social, Cultural, Educacional, ainda o Fórum Social do Mercosul, o FOCEM, o Sistema de Solução de Controvérsias e o Tribunal Permanente de Revisão, bem como o Parlamento do Mercosul, entre diversas outras instituições e fóruns.

Por incorporar aspectos além do comercial, o Mercosul, dentre os mais de 200 blocos e acordos regionais e bilaterais registrados na OMC, é considerado um dos que mais possui avanço na integração. Contudo, as instituições do Mercosul não têm poder de decisão, sendo esta reservado aos chefes de Estado. Por isso, o avanço é lento e está sujeito à conjuntura e ao governante do momento. Desta forma, o bloco é considerado pouco institucionalizado.

São muitos os desafios que o Mercosul deve superar para atingir uma verdadeira integração, com coesão, inclusão social e com redução das assimetrias entre os países-membros. O Brasil, sendo o maior país do bloco, também tem responsabilidades maiores e não pode se subtrair de sua responsabilidade e liderança.

*Mestrando em Integração Regional pela UFPR e especialista em Geopolítica e Relações Internacionais.

Anúncios

Sobre José Ricardo Martins

Professor de Geoplítica no curso de Relações Internacionais da UNICURITIBA. Pesquisador do Núcleo de Pesquisas em Relações Internacionais (NEPRI) da UFPR; Mestre em Sociologia (área de concentração em Relações Internacionais/Integração Regional) pela UFPR; especialista latino-americano em Políticas Públicas e Avaliação de Educação Superior pela UNILA/UFPR; especialista em Geopolítica e Relações Internacionais pela UTP; MBA com ênfase em Marketing Internacional pela UCL – Université Catholique de Louvain, Bélgica; especialista em Comércio Exterior com ênfase em negociação internacional pelo Institut Cooremans, Bruxelas, Bélgica; licenciado em Filosofia pela Faculdade Bagozzi. Interessado em trabalhar com (e lecionar): relações internacionais, cooperação internacional, integração regional, internacionalização de entidades de ensino, organismos públicos, municípios e entidades da federação, geopolítica, estratégia e defesa nacional, negociação internacional e resolução de conflitos.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s